Alvenaria Estrutural


Sistema construtivo que utiliza as paredes tanto para fechamento como para estrutura dos edifícios, eliminando as vigas e pilares de concreto armado. Com este sistema pode-se construir casas térreas e sobrados, conjuntos habitacionais de interesse social de 4 a 8 uh por andar, edifícios com unidades no térreo ou com pilotis. O limite máximo com a utilização de blocos de 14 cm é de 20 a 22 pavimentos de alvenaria estrutural, mas a altura máxima ideal situa-se entre 15 e 16 pavimentos.

É um sistema construtivo consolidado, utilizado em milhares de edificações desde os anos 80 no Brasil, com excelente desempenho, produzindo estruturas racionais e econômicas (em média 10 a 20 %). Com a utilização de lajes pré-fabricadas elimina-se o uso de madeira (e carpinteiros) na obra. Suas normas foram recentemente atualizadas (NBR 15961-parte 1 e 2). Para atingir a sua melhor eficácia é necessária uma boa coordenação de projetos : definição do produto, arquitetura, estrutura, instalações e equipe construtiva.

Com a utilização de estruturas de concreto armado sob uma transição conseguimos ótimo aproveitamento do terreno, com espaço para garagens e salões de diferentes utilidades. Podemos também utilizar transição sobre paredes do térreo no caso de pequenas alterações arquitetônicas neste nível. Utilizam-se diferentes tipos de lajes (maciça in loco, maciça pré-moldada, lajes pré fabricadas e pré-lajes) , escadas e demais pré-moldados, de acordo com a tipologia arquitetônica e logística da obra. No projeto constam as especificações qualitativas e quantitativas de todos os materiais, principalmente dos blocos que podem ser de concreto ou cerâmicos.

O eng Arnoldo Wendler é consultor de alvenaria estrutural da ABCP, participando dos grupos de trabalho de diferentes comunidades da construção, além do GT de boas práticas de projeto e reuniões de normalização da ABNT. Projeta edifícios de alvenaria estrutural desde os primeiros tempos de sua introdução no Brasil.

01 - Histórico
02 - Mercado nos anos 2007 - 2012
03 - Considerações Gerais
04 - Limites Atuais e Exemplos
05 - Materiais: Bloco, Argamassa e Graute
06 - Materiais: Prismas